quinta-feira,11 julho , 2024
Home Politica Marçal faz “profecia” sobre Nunes e diz que Bolsonaro abandonará campanha do prefeito

Marçal faz “profecia” sobre Nunes e diz que Bolsonaro abandonará campanha do prefeito

por Fabio Matos
0 Comente
marcal-faz-“profecia”-sobre-nunes-e-diz-que-bolsonaro-abandonara-campanha-do-prefeito

O pré-candidato do PRTB à prefeitura de São Paulo (SP), Pablo Marçal, fez uma “profecia”, nesta quarta-feira (10), sobre a campanha eleitoral deste ano. De acordo com o empresário e influenciador digital, o prefeito Ricardo Nunes (MDB), que disputará a reeleição em outubro, fará uma troca em sua chapa e substituirá o atual pré-candidato a vice, o que acarretará na perda do apoio do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL).

Em meados de junho, Nunes confirmou o nome do ex-coronel da Polícia Militar e ex-comandante da Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar (Rota) Ricardo Mello Araújo (PL) como vice em sua chapa, atendendo a uma reivindicação pessoal de Bolsonaro.

Baixe uma lista de 11 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de crescimento para os próximos meses e anos

Continua depois da publicidade

Para Marçal, que tem boa relação com o ex-presidente e busca os votos do eleitorado bolsonarista, o vice de Nunes será substituído por uma mulher.

“Eu queria que o PL viesse [como apoiador de sua candidatura]. Pelo jeito… Eu vou falar aqui uma profecia eleitoral. O Nunes vai colocar uma mulher de vice porque o vice que ele colocou só está atrapalhando ele, e o Bolsonaro vai sair dessa campanha”, afirmou Marçal, em sabatina promovida pelo UOL e pelo jornal Folha de S.Paulo.

Questionado se tinha alguma informação a esse respeito, o pré-candidato do PRTB respondeu: “Não sei. É só uma profecia sobre o Nunes”.

Continua depois da publicidade

Marçal afirmou, ainda, que trabalhará para ter uma mulher como pré-candidata a vice em sua chapa, mas não quis revelar quais seriam os nomes mais cotados. “Meu desejo é que seja uma mulher”, despistou.

Em maio, a médica Nise Yamaguchi (União Brasil), também alinhada ao bolsonarismo, teria sido sondada pelo PRTB para ser vice na chapa de Marçal.

“Nunes nunca teve voto”

Na sabatina, Pablo Marçal criticou a administração de Ricardo Nunes em São Paulo e disse que o atual prefeito “nunca teve voto”.

Continua depois da publicidade

“O Nunes nunca teve voto para prefeito. Ele veio de um cargo de vice [de Bruno Covas, morto em 2021], é herdeiro. Ele vai experimentar a urna pela primeira vez”, afirmou.

“Ele [Nunes] está há 2 anos fazendo campanha e entregando um monte de obra. O eleitor do Bolsonaro é um eleitor que pensa e não é movido por essa paixão, não”, prosseguiu Marçal, garantindo que tem potencial para arregimentar o apoio de grande parte dos eleitores do ex-presidente.

O pré-candidato do PRTB disse que a eleição na capital paulista “não vai ter segundo turno” – dando a entender que ele tem todas as condições de vencer a disputa já no primeiro turno, em 6 de outubro.

Continua depois da publicidade

“Eu não estou pretendendo chegar ao segundo turno. Nós temos 8 milhões de eleitores e eu preciso de 3 milhões que querem ver o Brasil ir para frente”, projeta. Segundo Marçal, a prefeitura de São Paulo “é mais importante do que a Presidência da República”.

O empresário também afirmou que não usará recursos dos fundos eleitoral e partidário para sua campanha e garantiu que não vai desistir da candidatura.

“Eu não vou vender [a candidatura], eu não estou de palhaçada. E serei o próximo prefeito da cidade de São Paulo”, assegurou.

Continua depois da publicidade

Questionado sobre os motivos que o levaram a disputar a eleição na maior cidade do Brasil, Marçal citou o nome do deputado federal Ricardo Salles (PL) – preterido como candidato a prefeito pelo partido, que optou pelo apoio a Nunes.

“Eu percebi que o Salles, que tinha 18 pontos na pesquisa, foi sacado. Ele falava a mesma língua que eu. Por que o Valdemar [Costa Neto, presidente nacional do PL] fez isso?”, indagou.

“São tantas alianças que ninguém deixa que gente boa possa disputar. Se tivesse gente querendo de verdade tirar o povo da miséria, não com barganhas eleitoreiras, eu jamais iria mexer com isso”, explicou Marçal.

“Eu estou um pouco assustado porque São Paulo tem a África do Brasil. Tem pessoas enfiadas dentro do esgoto por 30 anos. Já passaram 3 governos do PT [Luiza Erundina, Marta Suplicy e Fernando Haddad] e esses governos de [João] Doria, [Bruno] Covas e [Ricardo] Nunes e não existe nenhuma melhoria na vida dessas pessoas”, criticou.

Leia também:

  • Coach, influencer e “outsider”: quem é Pablo Marçal, pré-candidato à prefeitura de SP
  • Datafolha: Nunes e Boulos lideram eleições em SP; deputado é o mais rejeitado
  • Datena “rompe polarização e fura bolhas”, diz presidente do PSDB de São Paulo
  • Ricardo Nunes minimiza ascensão de Datena em pesquisa: “Rejeição passa de 50%”
  • “São Paulo vai ser governada por mim”, diz Datena ao lançar pré-candidatura pelo PSDB
  • Secretário de Tarcísio reforça apoio a Nunes: “Aqui não tem espaço para baderneiros

Pedido do União Brasil “está caro demais”

Durante a sabatina, o pré-candidato do PRTB admitiu que vem conversando com lideranças do União Brasil, legenda que declarou apoio a Ricardo Nunes, mas que não está satisfeita pela escolha do prefeito por Mello Araújo como vice.

Marçal afirmou, no entanto, que neste momento as negociações com o partido estão travadas.

“O União, provavelmente, vai andar com a gente. Só não selou ainda porque está caro demais o pedido deles. Eu preciso crescer um pouquinho mais”, disse o empresário.

Indagado sobre o que o União Brasil estaria lhe pedindo, Marçal respondeu: “A minha alma. E eu não quero entregar isso”.

Nos bastidores, comenta-se que o União Brasil condiciona o apoio a Marçal a que o empresário apoie o governador de Goiás, Ronaldo Caiado, na eleição presidencial de 2026.

“O Ronaldo é o meu amigo de muitos anos. Tem muitos anos. Caso o Bolsonaro não esteja elegível, eu já falei para ele… O apoio a ele está vinculado ao Bolsonaro continuar inelegível”, afirmou Marçal.

“Se eu crescer um pouco mais, vai ficar mais barato o que eles estão me pedindo. O que eles estão me pedindo, e a gente está toda hora reunido, não dá para revelar agora”, despistou.

Teleférico nas favelas

Uma das principais propostas que Marçal apresentou durante a sabatina é a construção de uma rede de teleféricos capazes de interligar as maiores favelas de São Paulo.

“Nós vamos fazer um cinturão interligando as comunidades. Vamos transformar as comunidades em polos turísticos e gastronômicos e vamos colocar um teleférico rasgando o céu de São Paulo”, disse o pré-candidato do PRTB.

“Em vez de se preocupar só com tarifa de ônibus, vamos colocar esse teleférico gratuito para os moradores e qualquer pessoa de fora vai pagar. Vamos criar um turismo nas favelas de São Paulo, que são mais seguras que o centro”, afirmou Marçal.

Questionado se já sabia quanto do orçamento teria de ser comprometido para um projeto dessa magnitude, Marçal respondeu: “Vai depender do tamanho do cinturão. Mais ou menos um gasto de R$ 50 milhões por quilômetro. Não tem freio, vai de 16km/h a 22 km/h sem parar”.

“Você imagina um cinturão de teleférico integrando as comunidades. O mundo inteiro vai querer aprender com a gente”, disse.

O empresário também foi perguntado se manteria a “tarifa zero” dos ônibus de São Paulo aos domingos, uma das principais bandeiras do governo de Ricardo Nunes.

“Qual é o benefício? Vou perguntar para o povo. O povo não quer ficar rodando a cidade de fim de semana, quer descanso”, disse Marçal.

Em seguida, no entanto, o pré-candidato indicou que pode manter a tarifa gratuita. “Se é um direito adquirido e está tudo certo, se é benefício para o povo… não está faltando dinheiro”, garantiu.

Bolsonaro x Lula

Pablo Marçal também fez considerações sobre a polarização da política nacional nos últimos anos entre o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL).

Marçal foi questionado sobre o indiciamento de Bolsonaro, pela Polícia Federal (PF), no inquérito que investiga a suposta venda de joias dadas pela Arábia Saudita para o governo brasileiro.

A apuração da PF investiga o suposto desvio ou a tentativa de desvio de bens recebidos pelo governo do Brasil, com valor de mercado de cerca de R$ 6,8 milhões.

“A PF prendeu o Lula [em 2018], foi condenado em 3 instâncias por 9 juízes, cumpriu 580 dias de cadeia, alguém foi lá e descondenou ele. E todo mundo chama ele de inocente. Quem é a PF nisso? A PF é o ministro da Justiça, que está mandando”, criticou Marçal.

“Esse bombardeio da mídia em cima do Bolsonaro é porque está aumentando o gás, a gasolina, e tem um pacote querendo aumentar todo tipo de taxa e imposto, só que aí coloca o Bolsonaro na frente”, defendeu o pré-candidato do PRTB.

“Se o Bolsonaro tem acesso aos presentes, a maioria, que eu tive notícia, ele devolveu. O presente é dele. E uma declaração da Procuradoria-Geral da República e da Advocacia-Geral da União já falou [sic] que o presente é dele. Ele faz o que ele quiser com esse presente. Se ele não pode ficar com os presentes, é só devolver.”

De acordo com a mais recente pesquisa do Datafolha, divulgada na semana passada, Pablo Marçal aparece com 10% das intenções de voto, na quarta colocação, atrás de Ricardo Nunes, com 24%; Guilherme Boulos (PSOL), com 23%; e tecnicamente empatado com José Luiz Datena (PSDB), com 11%.

você pode gostar

SAIBA QUEM SOMOS

Somos um dos maiores portais de noticias de toda nossa região, estamos focados em levar as melhores noticias até você, para que fique sempre atualizado com os acontecimentos do momento.

CATEGORIA NOTICIAS

NOTICIAS RECENTES

AS MAIS VISTAS

Noticias Todo Tempo © Todos direitos reservados

Título do Título