terça-feira,9 julho , 2024
Home Politica Lula: “Temos de chamar a Vale e exigir que ela pague” por Mariana e Brumadinho

Lula: “Temos de chamar a Vale e exigir que ela pague” por Mariana e Brumadinho

por Fabio Matos
0 Comente
lula:-“temos-de-chamar-a-vale-e-exigir-que-ela-pague”-por-mariana-e-brumadinho

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) voltou a cobrar a Vale, nesta terça-feira (2), e disse que o governo federal exigirá da companhia o ressarcimento às famílias das vítimas das tragédias de Mariana (MG) e Brumadinho (MG).

No Recife (PE), Lula participou, no fim da tarde, da cerimônia de entrega de 448 unidades habitacionais dos Conjuntos Vila Brasil I e II. Também foram anunciados os novos campus Recife – Centro do Instituto Federal de Pernambuco, e Campus do Sertão – UFPE, no município de Sertânia (PE).

Baixe uma lista de 11 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de crescimento para os próximos meses e anos

Continua depois da publicidade

Ao discursar, Lula falou sobre uma série de assuntos, entre os quais os danos causados pelos rompimentos das barragens nos dois municípios de Minas Gerais, respectivamente em 2015 e 2019.

A barragem de Fundão, em Mariana, rompeu no dia 5 de novembro de 2015, naquele que é considerado o maior desastre ambiental da história do país. Ao todo, 19 pessoas morreram.

Na ocasião, cerca de 40 milhões de metros cúbicos de rejeitos de mineração devastaram comunidades, contaminaram o Rio Doce e afluentes e chegaram ao Oceano Atlântico, no Espírito Santo. Foram 49 os municípios atingidos pela tragédia.

Continua depois da publicidade

Em janeiro de 2019, um novo rompimento em outra barragem da Vale, em Brumadinho, deixou 270 mortos e um rastro de destruição. Milhões de metros cúbicos de rejeitos de mineração foram despejados na bacia do Rio Paraopeba.

“Neste país, as pessoas têm muita facilidade para esquecer de pobre. Vocês viram o que aconteceu em Brumadinho, com aquela barragem da Vale, quantas pessoas morreram, quantas casas foram destruídas, e o que aconteceu em Mariana com outra barragem da Vale. Até hoje, a Vale não pagou o direito dos povos pobres”, afirmou Lula.

“Eu já falei com o Rui [Costa, ministro-chefe da Casa Civil]. Semana que vem, nós temos que chamar a Vale e exigir que ela pague os prejuízos que as pessoas tiveram. Não é possível que só sobre desgraça para as nossas costas”, completou o presidente.

Continua depois da publicidade

Na semana passada, durante passagem por Minas Gerais, Lula já havia cobrado publicamente a Vale e prometeu visitar as cidades atingidas pelas tragédias.

“Quero ver o estrago que a Vale fez na cidade de Brumadinho, quero ver o que foi feito em Mariana. A Vale está muito quietinha e sabe que tem de pagar”, afirmou, na ocasião.

“É fácil governar para os pobres”

Em seu discurso no evento em Recife, Lula se disse gratificado ao entregar unidades habitacionais à população mais pobre. “Quando eu entrego uma chave de uma casa, quando eu vejo uma pessoa dizer que virou doutor graças ao Lula, que está fazendo um curso técnico, que está recebendo o Bolsa Família, eu fico pensando: como é fácil governar para cuidar dos pobres. O que é muito difícil é cuidar dos ricos. Porque os pobres exigem pouco e são muito agradecidos por tudo aquilo que a gente faz”, afirmou o presidente.

Continua depois da publicidade

“A casa própria é uma divindade. Ter a casa própria é a gente chegar em um pedacinho do céu”, prosseguiu Lula.

País mais “civilizado e democrático”

Durante sua fala, Lula voltou a repudiar o impeachment sofrido pela ex-presidente e aliada Dilma Rousseff (PT), em 2016. “A gente tinha começado a consertar este país, de 2003 a 2015. As pessoas estavam mais bem cuidadas. Inventaram uma denúncia contra a companheira Dilma Rousseff para tirá-la do governo injustamente e colocar as tranqueiras que colocaram, que governaram depois dela. E a gente sabe o que aconteceu neste país, o retrocesso que houve”, disse.

Sem citar o nome do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL), seu rival político e antecessor no cargo, Lula afirmou que, em 1 ano e meio de mandato, já fez mais pelo país do que o governo anterior em 4 anos.

Continua depois da publicidade

“Tivemos um ano muito difícil. Nós completamos ontem 1 ano e 6 meses de governo. Não é nada. E eu olho para a cara de cada um de vocês e digo que nós fizemos mais do que o outro governo fez em 4 anos em todos os estados da Federação”, disse o petista.

“Precisamos ensinar este país a ser mais civilizado e democrático, para os entes federados se respeitarem”, continuou. “Os adversários ficam muito p… comigo. Nem sempre eles gostam de mim. O que eles não sabem é que o Lula não é o Lula. O Lula são vocês, todos juntos. E é por isso que eles não têm condições de derrubar. É por isso que eles não me aceitam.”

Elogios a João Campos

No palanque de Lula, estavam o prefeito do Recife, João Campos (PSB), e a governadora de Pernambuco, Raquel Lyra (PSDB).

Lula vem atuando, nos bastidores, para que o PT emplaque o candidato a vice na chapa de João Campos à reeleição, em outubro. O prefeito da capital pernambucana tem aprovação altíssima na cidade e é franco favorito para ser reeleito.

Aliados de Campos avaliam que, em 2026, o prefeito pode deixar o cargo e concorrer ao governo do estado – justamente contra a atual governadora, Raquel Lyra, que pode se candidatar ao segundo mandato.

“Eu não consigo compreender você governar sem combinar com prefeitos e governadores. É uma alegria trabalhar com um prefeito da qualidade do João Campos. Eu fui muito amigo do pai dele. O Eduardo Campos está lá no céu, está se mexendo, porque esse moleque vai ser melhor do que ele para governar”, disse Lula.

Além de Lula, Campos e Lyra, participaram do evento vários ministros do governo, como Rui Costa (Casa Civil), Camilo Santana (Educação), Jader Filho (Cidades), Nísia Trindade (Saúde), Luciana Santos (Ciência, Tecnologia e Inovação), Silvio Costa Filho (Portos e Aeroportos), André de Paula (Pesca e Aquicultura) e Laércio Portela (Secretaria de Comunicação Social da Presidência), além do advogado-geral da União, Jorge Messias.

O último evento do Dia foi uma cerimônia de anúncio do cumprimento de acordos-base relativos ao pagamento de indenização a pessoas que moravam em edifícios conhecidos como “prédios-caixão” (com alto risco de desabamento), em Recife e na Grande Recife. 

Lula entregou o “cheque esperança” a esses proprietários, que receberão indenizações de até R$ 120 mil por apartamento. Ao todo, o governo pagará R$ 1,7 bilhão no ressarcimento. 

“Isso é uma demonstração simples de que, quando o Estado está preocupado em ajudar a resolver os problemas das pessoas, não existe problema que não seja resolvido. O povo não precisava ter esperado 30 anos para receber a sua indenização”, disse Lula.

você pode gostar

SAIBA QUEM SOMOS

Somos um dos maiores portais de noticias de toda nossa região, estamos focados em levar as melhores noticias até você, para que fique sempre atualizado com os acontecimentos do momento.

CATEGORIA NOTICIAS

NOTICIAS RECENTES

AS MAIS VISTAS

Noticias Todo Tempo © Todos direitos reservados

Título do Título