quinta-feira,11 julho , 2024
Home Economia Haddad e Tebet vão levar propostas fiscais a Lula nesta quarta | CNN Brasil

Haddad e Tebet vão levar propostas fiscais a Lula nesta quarta | CNN Brasil

por gabrielbosa
0 Comente
haddad-e-tebet-vao-levar-propostas-fiscais-a-lula-nesta-quarta-|-cnn-brasil

Os ministros da área econômica Fernando Haddad (Fazenda) e Simone Tebet (Planejamento) vão apresentar propostas fiscais ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) em uma reunião nesta quarta-feira (3). Os ministros Rui Costa (Casa Civil) e Esther Dweck (Gestão e Inovação) também estarão no encontro.

A reunião será para tratar da sustentabilidade do orçamento de 2024, a elaboração da peça para 2025, que deve ser enviada pelo governo até o dia 31 de agosto, além do cumprimento do arcabouço fiscal até 2026.

Entre as propostas, os ministros devem debater a revisão da lista de cadastrados em benefícios previdenciários além de sugestões para amenizar as renúncias tributárias e cálculos da área econômica para compensar gastos extras.

O presidente também quer ouvir dos ministros soluções para segurar a alta do dólar. A moeda americana chegou a bater R$ 5,70 — maior patamar desde janeiro de 2022 — nesta terça-feira (2) em meio a falas de Lula sobre a política econômica e fiscal do país. A divisa perdeu força no fim do pregão e encerrou a R$ 5,66.

Desde que o governo mudou as metas de resultado primário em abril deste ano, na entrega do Projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias (PLDO) ao Congresso Nacional que antecede o Orçamento anual, os agentes econômicos passaram a ter mais ceticismo quanto ao compromisso com o fiscal do governo.

Na tramitação do arcabouço, o governo indicou que buscaria déficit primário zero em 2024, superávit de 0,5% do PIB em 2025, e de 1% do PIB em 2026.

A LDO mudou perspectivas a partir de 2025 e sinalizou que o superávit de 1% do PIB será alcançado somente em 2028.

A equipe econômica tem trabalhado nos últimos 60 dias em propostas que possam acalmar os ânimos dos agentes de mercado que pressionam por ajustes fiscais e cortes de gastos para equilibrar as contas públicas.

A percepção geral dos setores econômicos é de que o governo tem focado na política arrecadatória por meio de aumento de tributos sem controlar as despesas — que crescem constantemente.

A equipe econômica já propôs ao presidente Lula uma série de revisões em benefícios sociais, previdência e mínimos constitucionais como forma de controlar as despesas do governo.

Mas, embora já tenha reconhecido publicamente a necessidade da sustentabilidade do orçamento, Lula ainda não aceitou nenhuma proposta e pediu para que Haddad e Tebet levem novas sugestões.

O último relatório do Resultado do Tesouro Nacional, divulgado na semana passada, revelou que as contas do governo central, que engloba Tesouro Nacional, Banco Central e Previdência Social, registraram um déficit primário de R$ 61 bilhões em maio deste ano.

O resultado é 30,4%, em termos reais, descontada a alta da inflação no período, maior que o registrado no mesmo mês do ano passado, quando o rombo foi de R$ 45 bilhões.

No acumulado em 12 meses, até maio de 2024, o déficit é de R$ 268,4 bilhões, equivalente a 2,36% do PIB.

Quanto a dívida pública, em maio o Tesouro registrou alta de 3,1% com estoque em R$ 6,912 trilhões.

Pelos cálculos do Banco Central, divulgados em junho, o débito brasileiro atingiu 76% do Produto Interno Bruto (PIB), em R$ 8,4 trilhões em abril de 2024.

O avanço da dívida pública reflete diretamente nas taxas de juros e de crescimento do país, consequentemente impactando no emprego, na renda e na inflação, por exemplo.

você pode gostar

SAIBA QUEM SOMOS

Somos um dos maiores portais de noticias de toda nossa região, estamos focados em levar as melhores noticias até você, para que fique sempre atualizado com os acontecimentos do momento.

CATEGORIA NOTICIAS

NOTICIAS RECENTES

AS MAIS VISTAS

Noticias Todo Tempo © Todos direitos reservados

Título do Título