terça-feira,9 julho , 2024
Home Politica Caminhão fica fora de Imposto Seletivo para não elevar custo de frete, diz deputado

Caminhão fica fora de Imposto Seletivo para não elevar custo de frete, diz deputado

por Fabio Matos
0 Comente
caminhao-fica-fora-de-imposto-seletivo-para-nao-elevar-custo-de-frete,-diz-deputado

O deputado federal Reginaldo Lopes (PT-MG) afirmou que os caminhões não constam mais no Imposto Seletivo da reforma tributária para evitar o encarecimento do custo do frete.

A declaração do parlamentar foi dada nesta quinta-feira (4), após a apresentação do primeiro projeto de regulamentação pelo grupo de trabalho sobre a lei geral do IBS e da CBS.

Baixe uma lista de 11 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de crescimento para os próximos meses e anos

Continua depois da publicidade

O texto retirou os caminhões e incluiu os carros elétricos, que supostamente seriam menos poluentes. Lopes afirmou, no entanto, que os veículos movidos a eletricidade são poluentes por causa da bateria e dos pneus.

“O carro elétrico tem pneu, tem bateria, tem um monte de coisa. O caminhão é por causa da atividade econômica. O Brasil, infelizmente ou felizmente, é 85% rodoviário. Eu não quero e não posso aumentar o custo de frete”, afirmou o deputado.

“Se eu aumentar o custo de frete, chega na mesa do povo brasileiro, do povo mais pobre. Chega no arroz, chega no feijão. Então, eu não posso fazer isso. Seria um aumento para o setor produtivo”, completou Lopes.

Continua depois da publicidade

Em entrevista a jornalistas, Lopes enalteceu o projeto como “a maior reforma da história do País” e disse que, pela primeira vez, o Brasil terá “ganhos de produtividade”.

“Vamos ser uma economia de valor agregado, que gera emprego e vai tirar resíduos tributários”, disse o petista. “Vamos ganhar competitividade no mercado internacional. Ganhar competitividade é gerar PIB. É produzir trilhões de PIB, bilhões de arrecadação e milhões de empregos.”

Ao seu lado, o deputado Cláudio Cajado (PP-BA) disse que o atual sistema de impostos é o 10º pior do mundo e que haverá melhorias aos contribuintes e eficiência aos entes federados.

Continua depois da publicidade

“No atual sistema, ninguém sabe quanto paga de imposto. Agora, vamos ter o preço do produto com o preço do imposto ao lado”, declarou Cajado.

Medicamentos

O texto substitutivo da regulamentação da reforma tributária, apresentado pela Câmara dos Deputados nesta quinta, revê a alíquota de impostos para medicamentos, a lista de isentos e a periodicidade de revisões.

O deputado Reginaldo Lopes destacou que, entre as mudanças, está o aumento da alíquota do Viagra de zero para 60%. “Zeramos a alíquota para dignidade menstrual e aumentamos a do Viagra”, disse.

Continua depois da publicidade

O grupo de trabalho estabeleceu uma lista de medicamentos contemplados com isenção. Segundo Lopes, na versão anterior, a revisão para inclusão ou retirada de ativos seria feita a cada um ano. Agora, será revisto a cada 120 dias.

Segundo os parlamentares, a próxima semana na Câmara será voltada “única e exclusivamente” para a tramitação do primeiro projeto da regulamentação. Há uma expectativa de votação de um requerimento de urgência na próxima terça-feira, 9. Os membros do GT afirmam que a ideia ainda é aprovar a matéria antes do fim do semestre legislativo.

você pode gostar

SAIBA QUEM SOMOS

Somos um dos maiores portais de noticias de toda nossa região, estamos focados em levar as melhores noticias até você, para que fique sempre atualizado com os acontecimentos do momento.

CATEGORIA NOTICIAS

NOTICIAS RECENTES

AS MAIS VISTAS

Noticias Todo Tempo © Todos direitos reservados

Título do Título